Notícias — 04 Fevereiro 2016

edicao 2015 realizada em Guarulhos

O enfrentamento aos diversos tipos de violência contra as mulheres e outras minorias será o principal foco do “II Encontro das Trabalhadoras Frentistas -Assédio e Violência de Gênero”, que será realizado de 7 a 8 de março no auditório da CNTC- Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio, em Brasília-DF. Promovido pelas Federações Nacional e Estadual da categoria – Fenepospetro e Fepospetro, entidades presididas respectivamente por Francisco Soares de Sousa e Luiz Arraes, o evento vai reunir um público de 120 pessoas, formado por sindicalistas da categoria, incluindo lideranças femininas de todo o país, além representantes sindicais e de movimentos sociais, juristas e autoridades políticas. O envio das fichas com as inscrições e dos ofícios de participação ficará a cargo do Sinpospetro de Campinas-SP e de Guarulhos-SP.

O tema : Os  altos índices das práticas dos diversos tipos de assédios contras as mulheres, principalmente dentro do ambiente de trabalho, no Brasil e no mundo, motivaram  a opção pelo tema, definido no sábado (30), em Campinas-SP, pelo Comitê de Organização (foto) integrado por Marli Ortega, presidente do Sinpospetro de Jundiaí-SP, Maria Aparecida Evaristo, vice-presidente do Sinpospetro do Rio de Janeiro, Sueli Camargo, presidente da Secretaria da Mulher da Fepospetro e do Sindicato dos Frentistas de Sorocaba-SP, e Telma Cardia, presidente da Secretaria da Mulher da Fenepospetro e do Sinpospetro de Guarulhos-SP. Também participaram da reunião a médica especialista em psiquiatria, Dra. Sueli Cabral Rathsam, palestrante da edição de 2015,  e a diretora do Sinpospetro de Campinas-SP, Renilda da Paixão (foto).

Presenças e Bandeira de Luta:
Até o momento, foram convidadas e confirmaram presença na solenidade de abertura, na noite do dia 7, a senadora Gleisi Hoffmann, a Dra. Maria Gabriela Manssur, Promotora de Justiça   do   Ministério Público do Estado de São Paulo e Coordenadora do Núcleo de Combate à Violência contra a Mulher – Grande São Paulo II, e Terezinha de Carvalho, Delegada de Polícia aposentada com amplo histórico de atuação em defesa da mulher. Deverá ser concluída até a próxima semana a definição das três palestrantes que se apresentarão no dia 8, quando a    programação prevê ainda diversas atividades em grupo . Segundo Telma Cardia, a escolha dos nomes será com base nas abordagens: Empoderamento, Direitos e Saúde da Mulher. Sobre este último item, Telma adianta que objetiva dar visibilidade ao desafio que enfrenta a categoria na luta por proteger trabalhadoras gestantes da exposição ocupacional ao benzeno, substância cancerígena presente nos combustíveis. Sobre a questão,Telma defende elaboração de Projeto de Lei que viabilize subsídio salarial à frentista gestante durante os 3 primeiros meses da gravidez . A recomendação de afastamento segundo a sindicalista tem respaldo em estudos médicos, que comprovam estreita relação entre casos de contaminação pela substância, neste período da gestação, e a ocorrências de abortos  ou má formação fetal. Telma diz que hoje o sindicato intermedeia ” na raça” esse tipo de  afastamento: “É uma batalha descomunal pois a patronal não reconhece  a seriedade da questão, e  quase sempre só colabora quando o pedido de afastamento vem por ordem médica”. A presidente sindical diz que  tem que ser feito, pois trata-se de luta pela vida e pelo direito ao trabalho: ” Esse jogo de empurra estigmatiza a mulher e impacta seu direito universal de ser mãe e de poder conciliar essa condição com a de trabalhadora” – conclui.
Diretrizes:
Os debates do II Encontro das Trabalhadoras Frentistas- Assédio e Violência de Gênero,  produzirão encaminhamentos para a definição de ações específicas à categoria de todo o  país. Das deliberações, sairá também uma cartilha orientativa sobre como as mulheres devem proceder ao se ver vítima de assédio no ambiente de trabalho, ou da violência doméstica. A elaboração da cartilha foi sugerida pela presidente sindical Telma Cardia: ” Sem saber de seus direitos, as mulheres não têm como se defender” – pontuou. Sueli Camargo complementou: “Qualificadas, as lideranças femininas poderão suas equipes sobre uma assistência em conformidade com deliberações do Encontro”

Definição : A agenda de realização anual do Encontro das Trabalhadoras Frentistas foi aprovada durante o VII Seminário Nacional da categoria, realizado em Salvador – BA, em julho do ano passado. Na ocasião, foi decidido que as temáticas devem compreender a questão do estreitamento da comunicação entre as dirigentes sindicais,ações de qualificação do grupo, o combate a todo o tipo de violência de gênero e o desenvolvimento de ações de amparo e empoderamento das mulheres, para a plenitude de direitos. A categoria se propôs ainda a aumentar gradativamente a participação feminina nos cargos de comando dos sindicatos. Hoje, essa representação engloba 5 presidentes e 79 diretoras distribuídas entre os 52 sindicatos.

A Entidade: Com mais de 20 anos de atuação, a Federação Nacional dos Frentistas – Fenepospetro, presidida por Francisco Soares de Sousa, (Chico Frentista), um dos fundadores da categoria, reúne por todo o país mais de 50 sindicatos. Juntamente com a Federação Estadual dos Empregados em Postos de Combustíveis de São Paulo – Fepospetro, presidida por Luiz Arraes, representa aproximadamente 500 mil trabalhadores, sendo 100 mil no estado de São Paulo. As mulheres representam 30% desse contingente .

SERVIÇO:
Evento: “II Encontro das Trabalhadoras Frentistas- Assédio de Violência de Gênero”
Data: 07 e 08 de março de 2016
Local: Centro de Convenções da CNTC- Confederação Nacional do Comércio – Brasília-DF
End: bloco C – Lote 65 – Sgas W 5 – Asa Sul, Brasília – DF, 70390-020
Informações: Leila de Oliveira (19) 99221-9902 / contato@fenepospetro.org.br

Share

About Author

Comunicação Sinpospetro